domingo, 9 de janeiro de 2011

Formas macabras de se matar antigamente

1. The Spanish Donkey (Burro Espanhol)



As vítimas eram montadas nuas no aparelho, que é uma placa de madeira vertical com um “V” acentuado na parte superior. O peso da própria vítima cortava seus corpos, dividindo-os pela metade.


2. Flaying (Esfola)

A esfola foi um método de tortura usado há milhares de anos no Oriente Médio, África e mesmo América. Durante a Idade Média, era frequentemente usado para torturar e executar criminosos, soldados capturados e bruxas.
Os braços da vítima eram amarrados a um poste acima de sua cabeça, enquanto seus pés eram amarrados abaixo. Seu corpo ficava completamente exposto ao torturador, que com a ajuda de uma pequena faca, tirava a pele da vítima lentamente. Na maioria dos casos, em primeiro lugar era retirada a pele da face, e descendo, em seguida, até os pés da vítima. A maioria das vítimas morria antes de o torturador chegar até sua cintura.

3. The Crocodile Tube (Tubo do Crocodilo)
A vítima era fixada dentro de um tubo grande o suficiente apenas para a entrada dela. O tubo, com dentes de crocodilo, como pregos, era comprimido lentamente deixando a vítima totalmente imobilizada. O torturador só conseguia ver o rosto e os pés.
Com a ajuda do fogo, o torturador aquecia gradualmente o tubo até conseguir extrair uma confissão ou acabava matando a vítima.
Com o rosto e os pés expostos, o torturador era capaz de provocar feridas dolorosas sobre a vítima. Mutilação facial e o corte do dedo do pé eram as escolhas prefereridas.
Outros métodos incluíam forçar a vítima a agachar-se dentro do anel, assim, comprimindo os pulmões e os intestinos, causando a explosão.


4. The Heretics Fork (Garfo Medieval)
O garfo medieval foi usada na Idade Média, principalmente durante a Inquisição Espanhola.
O instrumento consiste de dois garfos que penetravam no queixo em uma extremidade e e no tórax na outra.
5. The Judas Cradle (Berço de Judas)

No Berço de Judas, a vítima era colocada sentada no topo de uma pirâmide. Os pés da vítima eram amarrados uns aos outros de uma maneira que o movimento da perna seria forçava o outro é para não se mover tão bem, aumentando a dor.
A parte superior do berço de Judas era introduzido no ânus da vítima ou na vagina. Esta tortura poderia durar algumas horas para concluir ou dias.Embora a perda de sangue não era um risco, a vítima morria de infecção, já que o dispositivo nunca era limpo. Bactérias, sangue, pus, secreção…



6. Impaling (Empala)

A forma mais comum de empalamento era através do ânus, mas existiam as variações como tórax, pernas, braços e, surpreendente mente, a partir do crânio.
Em alguns casos raros, o pau de madeira ia do ânus para a boca – em outros casos, ele ifiacava preso em algum osso – que iria para fora através do peito ou, mais comum entre, através do pescoço.


7. The Breast Ripper (Estripador de Mama) 



Usado como forma de punir as mulheres, o estripador de mama eram uma forma dolorosa e cruel para mutilar os seios de uma mulher.
As garras eram utilizadas quentes ou frias sobre os seios expostos da vítima. Se a vítima não morresse ela ficava marcada para a vida com seus seios dilacerados.
Uma variante comum do estripador de mama,referida como “A Aranha”, era um instrumento semelhante anexado a uma parede. Os seios da vítima eram fixados por garras e puxado pelo torturador, removendo os dois seios.

8. The Pear of Anguish (A Gota de Angústia)
A gota de angústia foi usada durante a Idade Média, como uma forma de tortura, nas mulheres que realizaram um aborto, mentirosos, blasfemas e homossexuais.
Um instrumento em forma de pêra era inserido em um dos orifícios da vítima: a vagina para as mulheres, o ânus dos homossexuais e na boca de mentirosos e blasfemas.
O instrumento consistia de quatro folhas que, lentamente, eram separadas umas das outras pelo torturador através do parafuso na parte superior. O torturador rasgava a pele ao expandir o instrumento ao máximo e mutilava a vítima.
As gotas de angústia eram geralmente muito enfeitadas para diferenciar entre as anais, vaginais e orais. Eles também variaram em tamanho de acordo com a vítima.

9. The Iron Maiden (Donzela de Ferro) 
Também conhecida como a Virgem de Nuremberg, era um dispositivo usado a partir do século XVI para torturar os criminosos.
Possuía mais de 2 metros de altura podendo acomodar um homem alto. A vítima era amarrada dentro do Donzela e uma das duas portas se fechava, penetrando no corpo da vítima com os pontos estrategicamente colocados para que não penetrasse em qualquer órgão vital.
Quando completamente fechado, os gritos da vítima não podiam ser ouvido de fora, e a vítima não enxergava qualquer luz nem escutava nada.
Além disso, os pontos bloqueavam as feridas, fazendo com que a morte acontecesse dias para ocorrer.

10. The Brazen Bull (Touro de Bronze) 
O touro de bronze foi o primeiro dispositivo inventado na Grécia Antiga.
Quando uma vítima era colocada dentro de bronze do touro, ela era queimada lentamente até a morte. Este dispositivo tornou-se gradualmente mais sofisticados até que os gregos inventaram um complexo sistema de tubos, a fim de fazer com que os gritos da vítima gritos soassem como um boi enfurecido.
Mesmo essa tortura não sendo utilizada com tanta frequência durante a Idade Média, uma vez que foi utilizado anteriormente pelo gregos e romanos, foi ainda usada na Europa Central. Esta tortura é similar a ser cozido vivo.


Meu comentário

Para mim muitas dessas torturas deveriam ser usadas hoje em dia em estupadores e pessoas que cometem assassinato assim essas pessoas poderiam sofrer a mesma coisa que sua vitima sofreu ou ate mais.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário